08 janeiro 2007

Um silêncio...

Um silêncio onde a palavra nasce,

um vento que chega da sílaba marcada

nos teus lábios, percorre as tuas frases,

atinge o fogo e a água lá fora, vai aos

tímpanos que estremecem e vibram,

e a sílaba preenche o ar,

milagre acústico de eu te ouvir

falar.

2 comentários:

alice disse...

é preciso um milagre para voltares a publicar?

Nuno disse...

não :p é preciso que as frequências acabem, o que é já amanhã :D já la vai um tempito já, eu próprio reparei.

obrigado pela visita! e pelo lembrete...