12 abril 2007

Para onde vão os teus cravos
se Abril tarda em chegar?
Que guitarras acolhem
o teu dedilhar secreto,
maduro,
se te magoam os
dedos ao tocar?

O teu ritmo chegou
Nas curvas de uma guitarra,
As cordas bem afinadas,
Percorreu a madeira,
preencheu as paredes das salas
vazias, e os corações sentiram
a tua dor tão pesada,
como cravos orvalhados
ao sol.

Lírio de Israel, para onde vão
Os teus cravos se Abril tarda
Em chegar?


A Carlos Paredes

1 comentário:

alice disse...

olá nuno. agradeço o teu comentário. estou feliz por descobrir este mar de setembro. gostei dos teus poemas. vou também retribuir o link. um beijinho.