24 junho 2007

A saudade está nos teus olhos,
candeias abertas à luz escura
de uma noite fria, o vento não pára,
o não estares aqui custa-me a cor
da minha pele, mostram-se os ossos
aos ossos do sol.

A saudade vê-se nos olhos,
no respirar pesado e grave,
o desânimo absoluto escurece
as paredes como a humidade,
o sorriso desaparece
do domínio dos lábios.

O desenho da saudade
está nos teus braços, quando
abraças o ar, o vazio,
a ausência de um corpo,
a saudade é uma luz
esquelética, sem cor,
perene. Saudade
é saudade.

7 comentários:

Anónimo disse...

é...


e dói-


___________________agradeço ao CBS ter vindo aqui parar.



____________//_____________


pode-se voltar?


bom dia.



(piano)

Susana A. disse...

gosto tanto :)

Nuno disse...

erm, anónimo/a... podes voltar sempre que quiseres :D

isabel mendes ferreira disse...

erm....é o quê?


se bem posso peerguntar?



o anónimo que não era era eu...:))))

Nuno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nuno disse...

eu sabia que um dia alguém me ia perguntar :p "erm" é o mesmo que "hum", mas ligeiramente diferente :)

isabel mendes ferreira disse...

obrigada....

fiquei mais "culta".




________________
abraço (inho)

:)))))))))))))